.

Baojun

Mini carro elétrico da Xiaomi esbanja recursos de automação residencial

Publicado

em

Frontal do Baojun E300 em cor branca e azul

Pequeno, mas ousado na disponibilidade de recursos tecnológicos

A General Motors é conhecida por sua parceria com gigantes do mundo automobilístico, o que já foi a razão de existência de diversos veículos concretizados. Todavia, a marca prova que não busca apenas os grandões, quando passa a firmar projetos com algumas empresas da China que não são muito conhecidas popularmente. Dentre essas se encontra pouco falada, Baojun, que por sua vez trabalha com ninguém menos que a Xiaomi.

Essa última, que já é conhecida por se bandeirar em quase todos os setores eletrônicos, já tem experiência no ramo dos veículos elétricos, expresso no Xpeng, iniciativa que rivaliza com os elétricos da Tesla, com a pretensão de oferecer o mesmo por menos. No caso do projeto da GM, o produto se chama novo Baojun E300, um veículo elétrico recheado de recursos que se distingue bastante das demais iniciativas que soam semelhantes.

Com uma pintura em dois tons, o E300 impacta o olhar de qualquer um a primeira vista pelo seu visual um tanto exótico, em que a parte superior parece como que encaixada na parte inferior. O formato compacto do veículo com contornos curvos passam a impressão de visual moderno, assim, o aspecto do veículo tende mais ao robótico, do que ao descolado. De cara, por se tratar de um SUV, esse não parece o carro mais adequado por impactar pelo estilo, mas pelo visual de um carro que aparenta servir bem ao seu condutor.

Nesse caso, as aparências não enganam, já que é fato a vasta gama de recursos tecnológicos presentes no veículo, percebidas em seu interior. Através do sistema do novo Baojun E300 é possível ter contato com o monitoramento de câmeras de segurança, o que se torna uma ótima opção quando há a necessidade de manter-se de olho em sua residência, mesmo quando dentro do carro. Também é válido apontar que demais recursos de controle de casa estão presentes, como a configuração do ar e de luzes.

Bancos no interior do Baojun E300

Interior do Baojun E300, divulgação.

Dimensões e preço do E300

Quando o novo Baojun E300 se intitula como um veículo de pequenas dimensões, não está brincando, tendo em vista que tem apenas 2,63 m de comprimento, 1,65 de largura e 1,59 de altura. Enquanto isso, os eixos são separados por 1,75 m, com a possibilidade de acomodar até 4 passageiros.

Não se dá de forma uniforme a potência do motor da versão de entrada em comparação com o modelo Plus. O modelo mais simples tem de 16,8 kWh e a bateria não-revelada da versão Plus, alimentam, respectivamente, motores de 29 kW/40cv e 40 KW/55cv. Enquanto a autonomia da versão básica é de 260 km, a versão Plus chega em até 305 km.

Até então, o E300 está previsto para permanecer restringido ao comércio chinês até o último trimestre desse ano, sem nenhuma declaração sobre uma possível expansão para o mercado estrangeiro, incluindo para o Brasil. Os chineses terão de desembolsar um preço de entrada de € 7 mil, que em conversão direta para o real, corresponde a R$ 41,7 mil. 

Minicarros e o público brasileiro

É inegável que os minicarros estão atrelados à história dos automóveis no Brasil, como fato de que o primeiro carro totalmente brasileiro, o Gurgel BR-800, possuía somente 3,2 metros. Sem falar dos Dalcon 828, que estiveram em atividade até há 34 anos, com incríveis 2,5 metros de carroceria. No entanto, quando considerado que ambos os veículos e os demais que se apresentam com proposta semelhante acabam ficando apenas com o peso da importância histórica, cabe o questionamento sobre as necessidades práticas do público brasileiro em relação aos mini veículos.

Atualmente, em 2020, para a aquisição de um veículo, o indivíduo necessita arcar com o custo combustível, impostos, seguro, revisões e demais encargos, sem esquecer de considerar a desvalorização do veículo, que acaba por acarretar em uma perda de bem acumulado. Isso sem contar os diversos fatores que acabam encarecendo o valor dos veículos que são disponibilizados para a aquisição no país, o que faz com que um cenário totalmente desfavorável à compra de um mini veículo seja instalado.

Há de considerar também o desempenho abaixo do esperado nas vendas do Smart Fortwo, da Mercedes Benz, que acabou não caindo no gosto dos consumidores, muito embora, já tenha vindo para o mercado brasileiro com uma proposta de patamar mais elevado. Porém, na prática, efeito semelhante ocorre com os outros mini-veículos, já que o valor que precisará ser pago para adquiri-los no Brasil, acaba não compensando pela pouca disponibilidade de espaço.

Engarrafamento em trânsito brasileiro

Preferência de veículos dos brasileiros, divulgação.

Por fim, é possível concluir que, ainda que os veículos compactos, como o Volkswagen Up!, desempenhem um número de vendas expressivo, quando considerado os minicarros, a realidade é oposta. Por conta disso, esse tipo de carro termina sendo destinado para um público-alvo específico, de maior poder aquisitivo e que está disposto a pagar mais por esse estilo minimalista, isso poderia explicar o fato do citado SmartFortwo ter vindo para o Brasil com uma proposta premium.

Fonte: Carscoops

 

 

+ posts

Jornalista de formação, trabalho em grandes jornais do ramo automotivo. Gosta de games e séries.

Publicidade

Destaque