.

Mercado

Volkswagen reclama de impostos no Brasil

Publicado

em

Volkswagen reclama impostos

O mercado de carros no Brasil se encontra em um momento bastante delicado, onde as mudanças ocorridas em diferentes setores do país acabou influenciando a tomada de decisões por parte dos fabricantes. A Ford, impactada de forma direta com as baixas vendas no ano passado, resolveu desligar as suas três unidades de fabricação no país.

As demissões são um grave aspecto derivado desse problema real, afinal de contas, a taxa de desemprego afeta tanto as famílias envolvidas, quanto o comércio regional. No entanto, outro assunto que também vem sendo bastante comentado, diz respeito à relação da estrutura estatal com o setor automotivo do país.

CONFIRA MAIS:

Pablo Di Si, presidente da Volkswagen, amplia a análise, apontando que não se trata apenas de um problema da produção de carros, mas engloba todo o futuro da indústrias brasileiras. Para ele, os pesados encargos tributários acabam dificultando o funcionamento das fábricas, sobretudo em um momento de conturbações financeiras.

Insatisfeito com a realidade tributária brasileira, ele afirma que 54% do valor de um carro decorrem dos impostos no Brasil, o que inviabiliza a oferta de um produto final mais barato. Consequentemente, os carros que chegam ao mercado brasileiro acabarão destinados apenas para as camadas econômicas mais superiores da sociedade.

Questionando as medidas de aumento tributário adotadas por João Dória, governador do Estado de São Paulo, Di Si colocou em pauta qual seria o real desejo para o cenário nacional dentre os próximos anos. Para ele, essas iniciativas do governo, como o aumento ICMS de até R$ 1,5 mil, acabam dificultando o processo de desenvolvimento industrial do país.

Para o presidente, abaixar os custos dos impostos no Brasil não seria suficiente para solucionar o problema. Antes disso, ele recomenda que a relação dos tributos brasileiros seja simplificada. Já que, dessa maneira, as empresas conseguiriam lidar melhor com as análises de mercado e sem os encargados burocráticas.

Fonte: Diário do Grande ABC

+ posts

Jornalista de formação, trabalho em grandes jornais do ramo automotivo. Gosta de games e séries.

Destaque