.

Ford

Saída da Ford ocasiona demissões em massa no ABC

Publicado

em

Montagem de carro da Ford

Com a saída da Ford da fabricação brasileira, as unidades que, até então, estavam a todo vapor, foram desativadas. Foram três ao total, sendo em Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE), sendo que essa última terá as suas atividades suspensas a partir de dezembro.

Após os fechamentos dessas fábricas, foi inevitável que as consequências não começassem a se manifestar em diversos setores, desde o mercado até os recursos humanos.

Como os carros da Ford que chegarão ao mercado brasileiro a partir de então serão importados, o botão dos desligamentos passam a ser apertados.

As demissões não ocorrem apenas de modo direto, ou seja, dentro das unidades responsáveis pela fabricação dos carros, mas também de todo o comércio que se baseava nessa mesma produção.

Montagem de peças da Ford

Montagem da Ford, divulgação.

MAIS NOTÍCIAS: 

+ Ford apresenta falta de peças após fechamento de fábricas

+ Novo Ford Mustang Mach-E contará com fabricação na China

+ Ford Equator pode chegar ao mercado brasileiro

Na Bahia, por exemplo, a Arteb, grande produtora de luzes, dentre lanternas e faróis, começou a demitir os seus funcionários por conta do desligamento da fábrica em Camaçari.

A situação é ainda mais agravada, quando considerado que os empregados não foram avisados previamente e somente na última terça (26), a notificação das demissões foram apresentadas.

Linha de produção da Ford

Ford em produção, divulgação.

Apesar de que é relatado pelos funcionários de que, no final do ano passado, comentários de que haveriam demissões em grandes proporções eram uma realidade dentro da Arteb.

Acontece que, com a virada do ano, o assunto acabou sendo varrido para debaixo do tapete e somente agora, com o anúncio da Ford, os desligamentos vieram a tona.

Linha produtiva da Ford

Linha produtiva da Ford, divulgação.

Enquanto isso, o sindicato responsável pelos metalúrgicos do ABC Paulista não tem uma estimativa de quantos empregados receberam carta de dispensa.

No entanto, considerando que eram 800 antes dos novos rumos,está sendo ventilado de que, em torno de 400 desses estão desempregados, ou seja, a metade dos funcionários que estavam em atividade.

Fábrica da Ford no Brasil

Linha de produção da Ford, divulgação.

Sob essa perspectiva, é possível compreender os esforços de governos, como o da Bahia, de repassar o controle das unidades deixadas para trás para alguma fabricante, a príncipio, alguma chinesa.

Isso porque, mesmo se tratando de uma empresa privada, a saída da Ford da produção nacional tem como consequência as demissões em massa e, portanto, um problema que acaba sendo de caráter público.

Fonte: Repórter Diário

+ posts

Jornalista de formação, trabalho em grandes jornais do ramo automotivo. Gosta de games e séries.

Destaque