.

Elétrico

Volkswagen ID.3 é o segundo carro mais vendido na Europa

Publicado

em

Volkswagen ID. 3

O VW ID.3 teve um passado conturbado até conseguir encontrar o seu espaço no mercado da Europa. Após ser apresentado no início do ano passado, acabou apresentando um problema em seu sistema, o que demandou um rápido recall.

Com as unidades recolhidas, os defeitos foram consertados, sob a promessa de atualização Over-The-Air (OTA) para aqueles que comprassem as primeiras unidades. Após todas as pedras no sapato terem sido retiradas, o ID.3 conseguiu encontrar o seu lugar no comércio europeu.

Segundo informações divulgadas pelo veículo Jato Dynamics, o Volkswagen ID.3 foi o segundo carro mais vendido no mercado em questão, o que demonstra uma verdadeira superação do compacto em questão, já que, mesmo diante dos encalços enfrentados, chegou ao posto vice em todo o continente.

VEJA MAIS:

+ Volkswagen T-Cross fica mais caro em janeiro de 2021

+ Volkswagen Taos 2021: confira as informações divulgadas sobre o SUV médio

+ Volkswagen reclama de impostos no Brasil

Essa marca é ainda mais expressiva, ao considerar de que esse é um carro elétrico, segmento que ainda se encontra em expansão em todo mundo. Também explicita a grande aceitação por parte do mercado europeu, em relação aos elétricos, sobretudo em razão dos subsídios oferecidos pelo governo para fomentar o segmento verde.

Mediante esse cenário, o Volkswagen ID.3 alcançou pouco menos de 28 mil unidades vendidas, o que representa 2.076 unidades a menos do que o Golf, primeiro colocado na relação dos carros mais vendidos no continente europeu. Realmente, uma grande superação diante de um cenário desfavorável ao sucesso do compacto elétrico.

O Volkswagen ID.3 conta com bateria de 58 kWh, com autonomias entre 409 km e 424 km, sob o ciclo WLTP. Sem levar em conta os abatimentos dos incentivos governamentais, os preços do elétrico partem de € 39.990, R$ 263.725 em conversão direta para o real.

Com esse preço base, o ID.3 fica muito mais barato quando considerado os incentivos variantes de cada país, como exemplo da França, onde a queda pode ser de até 7.000 euros (R$ 46.158), o que pode explicar o sucesso dos elétricos no continente europeu.

Fonte: Jato Dynamics

+ posts

Jornalista de formação, trabalho em grandes jornais do ramo automotivo. Gosta de games e séries.

Destaque