.

Elétrico

Volkswagen vai produzir barco elétrico movido a energia solar

Publicado

em

Silent Yacht 50 da Volkswagen

O Silent-Yacht 50 é uma das tentativas da Volkswagen de expandir o uso da sua plataforma elétrica modular em diversos projetos.

  • O ID.3 e ID.4 cedem sua plataforma para o Silent-Yacht 50, nave alimentada por energia solar, que marca os esforços da Volkswagen de propagar a sua opção pela eletrificação e zero emissões de carbono.
  • A Silent-Yachts e a Seat’s Cupra, divisão da Volkswagen, trabalham em parceria para lançar o barco elétrico movido a energia solar. 
  • BMW e Toyota também querem entrar no segmento das navegações, como forma de usarem suas plataformas em alto mar. 

Para o desenvolvimento de todas civilizações, a dominação marítima sempre foi vista como um sinal de evolução tecnológica. No entanto, mediante os novos desafios da sociedade, que busca um estilo de vida mais sustentável, os barcos movidos à combustão se distanciam da proposta dos veleiros, que eram carbono zero. Pensando nisso, a Volkswagen pretende lançar um barco elétrico movido a energia solar, para retomar a proposta verde das embarcações marítimas.

Com a Silent-Yachts, fabricante de iates elétricos, a VW está adaptando a sua plataforma modular e-drive MEB, presente no ID.3, para equipar o barco movido a energia solar. A empresa está trabalhando com a VW há dois anos, com vasta experiência nas tentativas de transformar o transporte em mar aberto. No final da década passada, a fabricante lançou o Solarwave 46, um modelo que funcionava com base na energia solar. Mas era alimentado eletricamente de forma completa, incluindo desde os motores até os equipamentos do barco.

CARROS ELÉTRICOS DA VOLKSWAGEN:

Volkswagen ID.3 é o segundo carro mais vendido na Europa

Volkswagen pode chamar Kombi elétrica de ‘e-Samba’

Volkswagen ID.3 em 20 de julho: confira versões, preços e demais especificações

A Silent-Yachts e a VW pretendem tornar viável a eletrificação dos barcos, para que não se trate de apenas um projeto interessante, mas sem adesão do mercado. Em seu favor, há o fato de que manter um barco elétrico será muito mais barato do que manter uma iate movido a combustão. A VW explica que o sistema de tração elétrica não é tão vulnerável quanto o convencional, portanto, muitos custos de manutenção serão cortados com a embarcação.

O nome escolhido para o iate elétrico da Volkswagen foi “Silent Yacht 50”, modelo que terá sua bateria e inversores controlados no pulso, além de receber a motorização elétrica da fabricante alemã. Com 500 kW de potência, o modelo receberá modificações para atender aos novos requisitos, bem como a plataforma será adaptada, afim de atender ao funcionamento do barco.

A Volkswagen acredita que com o lançamento do iate elétrico movido a energia solar, o próprio segmento dos carros elétricos receberá uma propaganda generosa. Isso porque, ao demonstrar que é possível desfrutar dos benefícios de um veículo elétrico, realizando longos trajetos, será possível concluir que essa realidade também é possível para as embarcações. Com um mercado aquecido, a adesão do mercado só tende a crescer.

Apesar de se tratar de um barco elétrico, os barcos da Yacht contam uma reserva de diesel, para que, em situações de emergência, o embarcadores estejam amparados com o motor à combustão. Ainda assim, o Silent Yacht 50 só será apresentado em 2022, caso a maré seja favorável, a VW investirá os seus próximos quatro anos em estar pronta para lançar 50 navios anuais.

Os veículos movidos a bateria, para a Volkswagen, representam futuro da mobilidade. Mas se engana quem pensa que somente a fabricante possui essa tendência às embarcações elétricas. Isso porque a BMW, junto a Torqeedo, adaptaram as baterias do i3 e i8 para funcionar em seus barcos elétricos. Também a Toyota, em parceria com a Yanmar, utilizaram tanques de hidrogênio para equipar um conceito de barco elétrico.

Fonte: Car and Driver

+ posts

Jornalista de formação, trabalho em grandes jornais do ramo automotivo. Gosta de games e séries.

Destaque