Jeep elétrico vermelho em curva
Jeep elétrico (frontal), divulgação.

Elétrico tem grandes chances de chegar com a plataforma modular PSA

É inegável que todo o mercado de automóveis ruma para o processo de eletrificação, por inúmeros fatores que vão desde as questões ambientais, até a própria competição comercial. Porém, sabemos que, como a natureza, o próprio mercado em si é conservador, atuando, na maioria das vezes, de maneira gradual, seja para retirar um produto de circulação, quanto para participar de uma demanda em ascensão.

Quando contextualizado dentre os veículos elétricos, o segmento que é estimado por grandes nomes do mundo automobilístico, como a Tesla, essa que foi elogiada pelo diretor executivo da Volkswagen, Herbert Diess, por sua atuação firme e ousada rumando nesse sentido. Apesar de algumas fabricantes ainda possuírem um pé atrás quanto à existência de demanda para certos segmentos eletrificados específicos, como a RAM que aponta o investimento em picapes elétricas como apostar em um segmento inexistente, isso não impediu de diversas fabricantes seguirem tal rumo ou outros distintos, mas que comungam da motorização elétrica.

A Jeep, há algum tempo, vem demonstrando o seu interesse em migrar para os veículos elétricos e, em sintonia com a afirmativa de que as fabricantes, atuando no mercado, tem as suas precauções, testa primeiro a temperatura da água com o pé, com a chegada de híbridos plug-in, dentre os quais estão o Renegade e Compass 4xe, que já possuem passaporte confirmado para o mercado brasileiro no ano que vem. Isso sem contar o Jeep Wrangler, que também contará com motorização híbrida e é esperada para o início de 2021.

Dessa vez, o portal Periodismo del Motor dá a entender que a Jeep teria pego mais confiança e experiência no rumo elétrico, trazendo os dados iniciais a respeito do primeiro carro completamente elétrico da marca. De acordo com a fonte mencionada, o Jeep Elétrico já teria a sua maternidade, i.e, uma unidade de fabricação da Jeep, qual é adiantada como sendo a instalada em Melfi, pertencente à província de Basilicata, na Itália.

Para quem não se lembra a fábrica em Melfi, é a mesma onde são produzidas as versões do Jeep Compass e Renegade, sem excusão dos novos 4xe híbridos, que diferente dos carros de tração integral convencionais, utilizam um motor à combustão nas rodas dianteiras, enquanto que, nas traseiras, um propulsor elétrico. O motor em questão se trata do 1.3 turbo com o propulsor elétrico de aproximadamente 250 cavalos combinados.

Jeep elétrico aposta em menor tamanho e pode receber a plataforma PSA 2
Jeep elétrico (lateral), divulgação.

Mais informações

Se engana, porém, aqueles que acreditam que o Jeep Elétrico, primeiro veículo totalmente elétrico da fabricante, se tratará de uma versão do Renegade ou Compass, pensamento que poderia derivar do investimento da fabricante nas novas versões híbridas. Mas, considerando as informações que estão sendo cridas pela mídia, esse se trataria de um veículo nunca antes visto, portanto, um lançamento por excelência.

Além disso, o modelo seria consideravelmente menor do que a dupla anteriormente citada, chegando a 300 mm a menos em comprimento. Quanto à sua base, é especulado que o pequeno Jeep Elétrico pode ser produzido acima do e-CMP, variante desenvolvida especificamente para veículos elétricos.

Porém, as expectativas esperam que, por se tratar do veículo de estreia no segmento completamente elétrico, que a Jeep opte pela nova base elétrica eVMP, que chama atenção em razão de seu desempenho quanto à autonomia, essa que ultrapassa os 649 km.

Fonte: Periodismo del Motor

Jornalista de formação, trabalho em grandes jornais do ramo automotivo. Gosta de games e séries.